Loading

 

Artigos - Material Educativo

O que é asma grave e quando o paciente deve ser encaminhado aos centros de referência?

 

A asma é considerada grave quando apesar da utilização de altas doses de duas ou três medicações de controle associadas, ainda existem sintomas, exacerbações e limitações no dia a dia.

O diagnóstico de asma pode ser confirmado pelo generalista, clínico ou pediatra, baseando-se no quadro clínico e na espirometria compatíveis, mas a definição da gravidade, dificuldade de controle e o manejo das altas doses de medicação devem ser responsabilidade do especialista.

Todo paciente com suspeita de asma grave deve ser avaliado por um especialista, de preferência em centros de referência para asma grave. Além disso, pacientes que apresentam quadro clínico atípico (dúvida diagnóstica) ou comorbidades não controladas também devem ser avaliados por especialista, assim como na ACOS (sobreposição asma-DPOC).

No encaminhamento ao especialista em asma, o médico generalista deve enviar relatório com seus achados clínicos de história e exame físico mais relevantes para o diagnóstico e a evolução do quadro, incluindo as modalidades terapêuticas já usadas, se possível, com doses das medicações. É importante estar registrado no prontuário exatamente quando foi feito o diagnóstico de asma, e quais foram os elementos utilizados para este diagnóstico.

Recentemente foi incorporado ao tratamento dos asmáticos graves, agentes biológicos (anticorpos monoclonais) que são drogas capazes de controlarem a asma grave, evitando a utilização de corticoides orais e seus efeitos colaterais. Até o momento apenas uma medicação anti-IgE (omalizumabe) está disponível no mercado, que vem sendo utilizada com muito sucesso. Estas drogas devem ser prescritas apenas por especialistas!

O artigo é de autoria do Departamento Científico de Asma da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

 

Compartilhar